A humanização de Dexter

Nas telas de diversas famílias, uma série que chamou atenção e viciou uma imensidade de fãs foi Dexter.. Entretanto, se vocês estão preparados para que eu só elogie e enalteça a série, começo-lhes a pedir desculpa, pois é algo que não vai acontecer… não quando a série teve MUITOS pontos altos, mas também INÚMEROS pontos baixos. Talvez mais baixos do que altos.

Para começar essa resenha eu tenho que apresentar Dexter a vocês. Bom, a série é baseada na obra de Jeff Lindsay, e trás um protagonista para lá de interessante, sendo ele um especialista forense em amostras de sangue, que trabalha para a polícia de MIAMI.

Já sentiram o pega? Se não… Continuem prestando a atenção porque vai vim muito mais emoção.  Além de Dexter ser tudo isso que eu disse acima, ele também é um serial killer, que mata pessoas que a polícia de miami não consegue prender.

Então o nosso protagonista vive uma dupla identidade praticamente. Parece impossível, mas o danado consegue fazer isso ao decorrer das temporadas, entretanto sempre com o risco de ser pego.. Assim como passou por inúmeros perrengues ao decorrer da trama.

O site seriemaniacos nos dá uma definição plausível sobre Dexter ser um psicopata, segue ela abaixo:

Dexter é um psicopata. Psicopatas são indivíduos cuja capacidade mental é extremamente debilitada na região do cérebro responsável pelo processamento das emoções. Assim, eles são incapazes de sentir como nós. Eles não são dotados daquilo que nos define como uma espécie tão diferente das demais: sentimentos profundos. Para se ter uma idéia de como seria ser um psicopata, basta se imaginar num mundo onde todas as pessoas que te cercam fossem como gado. Você pode até morar perto dele, alimentá-lo (e se alimentar dele), pode até gostar de uma vaca ou um boi em particular mais do que os demais, mas no fim do dia, eles ainda serão apenas uma vaca ou um boi, e por isso podem ser descartados quando for necessário. Eu dizia, contudo, que Dexter é diferente. Diferente porque seu impulso assassino é direcionado aos seus semelhantes. Não dá para deixar de ser um psicopata. Isso é impossível (ao menos com a tecnologia médica que temos). Então será mesmo um mal um psicopata (que nasceu dessa forma) matar criminosos que escapam da Justiça, ao mesmo tempo em que satisfaz não só o senso de justiça da comunidade como seus próprios desejos?

Agora voltando ao rumo da série, eu vou começar a falar sobre as temporadas. Dexter totaliza ao todo em 8 temporadas, transmitida pelo canal norte-americano ShowTime e começou sendo exibida em 2005 com uma qualidade impressionante, inquestionável e  totalmente inovadora. Aliás, você nunca imaginava um psicopata roubando a cena e corações de inúmeras pessoas ao redor do mundo, não?

Conforme as temporadas foram sendo exibidas, a série começou a ganhar fãs, admiradores, começou a se consagrar na TV. Foi indicada para vários prêmios e levou diversos, como: 11 emys, 7 globos de ouros, entre outros.. 

O ápice mesmo da série é que o nosso protagonista sempre mostrou indícios de ser um serial killer e quando ele tinha apenas 4 anos, ele viu sua mãe sendo brutalmente assassinada. Logo depois do ocorrido ele foi adotado por um policial que percebeu desde muito cedo as tendências homicidas do filho.

E como todo bom pai, ele não queria que nada de mal acontecesse para o nosso protagonista, mesmo Dexter sendo a própria simbologia de pessoa malvada, aquela que não se arrepende em causar sofrimentos à alheios. Então foi a partir daí que surge o “código” que Dexter só mataria pessoas que a polícia de Miami não conseguisse capturar.

Porém, é na quarta temporada que Dexter assumiu a liderança do inesperável. Foi nesse ano que foi nos apresentado o melhor vilão de toda a trama. Aquele que você se corroía para que Dexter o pegasse logo de uma vez.. Mas, nada é como queremos, não? E essa quarta temporada, com o roteiro excepcional, nos deixou de queixo caído com o decorrer dos episódios.

Nessa temporada Dexter está mais “família” e é a partir disso que eu cito a “humanização” do nosso personagem. Ele está casado com Rita, vivendo em Miami, pai de três filhos, sendo um deles um bebê. Então com essa vida de pai de família, ficou quase impossível para que o seria killer mais amável do mundo saísse procurar as suas vítimas, certo?

Como dito anteriormente, Dexter nesta temporada conhece o vilão Trinity Killer. Ele é um serial killer que está matando há mais de 30 anos em diversas cidades dos Estados Unidos, tendo um sistema bastante peculiar na hora de assassinar suas vítimas.

O Blog abelhafistula deixa bem claro a forma que Trinity realiza a sua matança:

A primeira vítima sempre é uma mulher, que é deixada boiando em seu próprio sangue em uma banheira. Depois uma mulher que cai de um prédio, numa situação semelhante a um suicídio. E por fim, um homem de meia idade é espancado.

trinity-killer
Vilão da quarta temporada de Dexter.

Esse vilão tem um ponto em comum com Dexter: ele leva uma vida normal, sendo pai de família, esposo, participa da igreja, faz trabalho voluntário. E é por causa disso que Dexter acaba admirando esse jeito de se camuflar do vilão.

O que Dexter tinha na cabeça gente, de tentar se aproximar de um serial killer? Pois foi isso que nosso personagem quis fazer e fez. Ele considerava o nosso vilão “perfeito” e quis seguir os passos dele, entretanto não fazia ideia de tudo o que estava colocando em risco. Sua vida e a vida de todos aqueles que estavam a sua volta ou seja, da sua família.

E ao decorrer da temporada inúmeras coisas acontecem além disso, no entanto se eu for ficar citando todas elas será uma surra de spoiler… Mais do que já vem sendo, então é melhor evitar, não?

Para se aproximar do vilão da quarta temporada, Dexter mentiu sua identidade para ele, entretanto as coisas começam a se complicar quando Trinity realmente descobre a sua verdadeira face. Seu nome verdadeiro. Que na verdade ele não era Kyle e sim Dexter, um perito da polícia de Miami.

 

E para finalizar a melhor temporada de Dexter, o desfecho foi inarrável. Vocês nunca vão assistir uma season finale que a deixará tão perturbada como a quarta temporada de Dexter.

O nosso protagonista consegue capturar o vilão, sim, mas ele não vai vencer.. Vamos ter calma. Dexter irá enrolar o vilão nos seus famosos plásticos, vai rolar a famosa conversa antes da morte, e logo depois ele falará que também tem uma família.. Por que ele vai falar isso? Meu Deus, por quê?

Dexter para proteger a sua família, manda seus enteados para a disney com os pais de Rita e inventa uma desculpa qualquer para que a esposa saísse da cidade com o filho. É a partir daí que o circo pega fogo.

Ao chegar em sua casa, com a missão cumprida de ter assassinado o vilão, Dexter é surpreendido com Rita morta na banheira de sua casa, cheia de sangue, no estilo Trinity de matar.. E seu filho, o bebê, está na poça de sangue aos berros.. Assim como Dexter estava quando foi encontrado por seu pai. É o famoso ciclo se repetindo.

rita-morta-na-banheira
Dexter sendo nocauteado no final da quarta temporada.

“Ambos nascidos do sangue da mãe”,

E foi por conta desse final, de tamanha reviravolta, que a quarta temporada é épica. Por conta que Dexter saiu perdendo. Ele perdeu sua esposa, traumatizou o seu filho, reviveu um ciclo. É complicado. Mas ele não saiu vitorioso. Ele saiu fragmentado, ainda mais do que já era.

E a partir daí que Dexter começou a decair… Roteiros rasos, vilões fracos, audiência despencando… Uma humanização que não era necessária. Fizeram Dexter se apaixonar, quiseram vender essa imagem para os fãs que não aceitavam, os roteiristas ficaram loucos e é por isso que o final da série foi muito criticada negativamente, não agradando nem um pouco o público alvo.

Mas não é atoa, não é mesmo? Depois de um final extraordinário da quarta temporada, deveriam ter encerrado a série assim.. Não teríamos nos decepcionado tanto com um final tão agonizante como foi.

 

Galera, espero que tenham gostado.. É complicado falar de Dexter, busquei ajuda em diversas resenhas, baseie meus textos no que eu li também. É uma série complexa, enredo impressionante, personagens marcantes.. Não é por conta de uma coisa ou outra que vocês não devem assistir.

Não falei da Debra, irmã de Dexter, pois quis focar no personagem principal, entretanto mais para frente posso fazer curiosidades sobre essa personagem… Que é intrigante demais para não ser lembrada.

Até semana que vem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close